Absorventes, meio ambiente e alternativas práticas e sustentáveis

Já parou para pensar na quantidade de absorventes que uma mulher usa ao longo de sua vida?

Considerando que as mulheres iniciam sua vida fértil, em média, aos 12 anos, entram na menopausa, em média, aos 54 anos e menstruam 12 vezes ao ano, utilizando, aproximadamente, 20 absorventes por ciclo, cada mulher utiliza e descarta, ao longo de sua vida, cerca de 10.000 absorventes.

Cada mulher utiliza e descarta, ao longo de sua vida, 10.000 absorventes.
Foto: Omar Lopez/ Unsplash

Como descreve o Inmetro, eles são compostos por um material para absorção de origem vegetal, por filme plástico impermeável para evitar vazamentos e por um papel absorvente para dar firmeza e ajudar na distribuição rápida e homogênea do fluxo menstrual.  Com todos esses materiais, eles levam, aproximadamente, 100 anos para se decompor em aterros e lixões, o que faz deles um problema ambiental, junto com vários outros materiais, como já falei aqui.

Descarte e reciclagem

A reciclagem de absorventes ainda não é um processo popular e difundido pelo mundo, mas já existe. A empresa canadense Knowaste inaugurou no Reino Unido uma usina de reciclagem de fraldas e absorventes descartáveis. Na usina, esses materiais são transformados em vários componentes plásticos para fabricação de produtos como  tubulação industrial, por exemplo.

No Brasil, a reciclagem de absorventes ainda não existe e todos vão parar em aterros e lixões. A boa notícia é que existem alternativas mais práticas e sustentáveis que estão se popularizando e fazendo muito sucesso entre as mulheres.

Coletores Menstruais

O coletor menstrual é mais sustentável, mais prático e, na minha opinião, muito mais confortável e higiênico que absorventes descartáveis. Além disso, gera uma economia de dinheiro significativa. Uma mulher gasta, aproximadamente, 210 reais com absorventes por ano. Ao comprar um coletor, investimos menos de 100 reais em um produto que pode durar até 10 anos, dependendo de nossos cuidados de manutenção e higienização. Comprei o meu coletor há mais de um ano e ele continua em ótimo estado. O meu é da Inciclo, mas os coletores da Fleurity também são bem conhecidos. Nos sites dessas marcas, as maneiras utilização e higienização são bem explicadas, assim como as inúmeras vantagens.

Uma mulher gasta, aproximadamente, 210 reais com absorventes por ano. Ao comprar um coletor, investimos menos de 100 reais em um produto que pode durar até 10 anos, dependendo de nossos cuidados de manutenção e higienização.
Foto: Coletor menstrual da Inciclo (Isabella Menezes)

Absorventes de pano reutilizáveis

Para aquelas que não são adaptarem ao coletor e ainda sim quiserem parar de usar os absorventes descartáveis, existem os de pano reutilizáveis. Eu não optei por eles porque, apesar de serem muito mais sustentáveis que os descartáveis, na minha opinião, perdem para o coletor em praticidade, conforto e higiene, mas existem marcas que vendem eles também! Eu conheço os da Morada da Floresta e os da Korui.

Calcinhas Absorventes

Uma outra alternativa muito legal aos absorventes tradicionais são as calcinhas absorventes. Elas são laváveis e reutilizáveis e, por isso, muito sustentáveis. Elas são vendidas em vários modelos e são práticas para lavar. Eu conheço as calcinhas da Pantys (tem um vídeo explicando o funcionamento delas aqui) e da Inciclo, que dá várias informações sobre o funcionamento de suas calcinhas também.

Com essas alternativas, as mulheres não só deixam de descartar 10 mil absorventes ao longo de sua vida, como também economizam dinheiro e ganham conforto e tranquilidade durante o período menstrual.

 

 

Share
Facebook
Facebook
TWITTER
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *