Fraldas descartáveis: problemas ambientais de seu descarte e alternativas sustentáveis

Elas surgiram na década de 50 e desde então foram se tornando cada vez mais populares. Hoje, são encontradas em prateleiras de todos os supermercados e em muitas farmácias. Em 2014, o Brasil já era o terceiro maior consumidor de fraldas descartáveis do mundo e, em 2017, mesmo com a retração econômica, esse mercado continuou crescendo.

Apesar da praticidade que trouxeram, com elas vieram também os impactos ambientais de seu descarte. Em seus dois primeiros anos de vida, um bebê usa, em média, 3960 fraldas descartáveis e, como as iniciativas de reciclagem  ainda não são muito comuns no Brasil e no mundo, grande parte dessas fraldas vai parar em lixões ou aterros, onde levam cerca de 600 anos para se decompor. Como já falei aqui, a empresa canadense Knowaste inaugurou no Reino Unido uma usina de reciclagem de fraldas e absorventes descartáveis, onde esses materiais são transformados em vários componentes plásticos para fabricação de produtos, como tubulação industrial, por exemplo. No Brasil, a Boomera, empresa de reciclagem, desenvolveu um processo em que as esteriliza e aproveita o plástico recuperado em novas peças.

No Brasil, a Boomera, empresa de reciclagem, desenvolveu um processo que esteriliza fraldas usadas e aproveita o plástico recuperado em novas peças.
Foto: tampa de lixeira feita a partir da reciclagem de fraldas descartáveis (boomera.com.br)

Iniciativas como essas são incríveis, mas, enquanto elas não se popularizam, o descarte de fraldas continua e, sempre que possível, não produzir lixo é uma alternativa melhor que reciclar aquele que foi produzido.

Fraldas de pano

Com a ideia de reduzir a produção de lixo em mente, muitas empresas estão produzindo e vendendo fraldas de pano, mais práticas e higiênicas que as de antigamente, como alternativas mais sustentáveis às descartáveis, mas que também se encaixam no ritmo de vida atual, em que pais e mães não querem gastar tanto tempo lavando-as.

Existem várias marcas nacionais que fabricam e vendem essas fraldas, como a Algodão Doce, Belinha Baby, Nós e o Davi e Bebês Ecológicos, que, em seu site, também faz uma comparação de gastos e mostra a economia de dinheiro que o uso de fraldas de pano traz.

Com a ideia de reduzir a produção de lixo em mente, muitas empresas estão produzindo e vendendo fraldas de pano, mais práticas e higiênicas que as de antigamente, como alternativas mais sustentáveis às descartáveis.
Imagem: fralda ecológica da marca Nós e o Davi (noseodavi.com)

Com essas alternativas, pais e mães podem substituir as 5 mil fraldas descartáveis que seus bebês usariam até o desfralde por cerca de 24 das sustentáveis, gerando menos lixo e grande economia de dinheiro.

 

 

 

 

Share
Facebook
Facebook
TWITTER
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *