Guia de marcas e lojas slow fashion para compras mais sustentáveis

Eu já falei aqui dos graves problemas ambientais e sociais que o modelo de Fast Fashion tem causado. Dentre eles estão trabalho escravo, morte de trabalhadoras e trabalhadores, grande volume de resíduo têxtil (no Brasil, 170 mil toneladas de resíduos têxteis são descartados todos os anos), poluição de corpos d’água, dentre outros. Porém, um novo modelo se consumo, o Slow Fashion, tem se popularizado.

Em contrapartida ao fast fashion, o movimento do Slow Fashion vem se popularizando. Esse movimento foi criado em 2008 como uma alternativa à produção em massa e propõe que tenhamos mais consciência dos produtos que compramos, estimulando a valorização da maneira como foram produzidos
Imagem: un-fancy.com

 

O Slow Fashion

Em contrapartida ao Fast Fashion, o movimento do Slow Fashion  surgiu como uma alternativa à produção em massa e propõe que tenhamos mais consciência dos produtos que compramos, estimulando a valorização da maneira como foram produzidos. Dentre seus valores, estão:

1. o reconhecimento dos impactos de nossas escolhas no ambiente e nas pessoas;

2. qualidade sobre quantidade;

3. diversidade ecológica, social e cultural, com modelos de negócios diversificados e inovadores (designers independentes, bazares, brechós…);

4. slow como um desafio à obsessão da moda rápida e homogeneização e falta de diversidade na moda;

5. relação de confiança entre quem cria e quem consome;

6. utilização de materiais e recursos locais, além de valorização de talentos regionais;

7. priorização de design atemporal sobre tendências passageiras;

8. preço das roupas refletindo seu valor real, incorporando o custo dos recursos utilizados e salários justos;

9. tomada de decisões baseadas em paixões pessoais, personalidade e estilo próprios.

 

Onde comprar

As marcas que prezam pelo Slow Fashion estão se tornando cada vez mais populares e podemos encontrar roupas, sapatos e acessórios de preços variados no mercado, em lojas online e físicas.

As lojas online e físicas que prezam pelo slow fashion estão se tornando cada vez mais populares e podemos encontrar roupas, sapatos e acessórios de preços variados no mercado.
Foto: Casa Jardim Secreto, uma loja colaborativa em São Paulo que preza pelo Slow Fashion  (Cristiane Farhat/Matú Arquitetura)
Roupas

VK8: a marca produz grande parte de suas roupas com tecidos sustentáveis e produtos nacionais, reutilizam e doam restos de tecidos da fabricação e valorizam seus trabalhadores.

Karmen: a marca se preocupa com a quantidade de matéria-prima esquecida nos estoques das empresas têxteis e por isso utiliza tecidos de qualidade que o mercado não quer. Os processos de criação e produção andam junto com o fluxo de matéria-prima encontrada. As peças têm tiragem limitada e, muitas vezes, são únicas.

Moni Collen: a marca produz roupas de algodão orgânico e garrafa PET reciclada atemporais, com matérias primas livres de exploração humana e 100% nacionais.

Tiê: a marca se preocupa em produzir roupas atemporais, valorizando parceiros que prezam por remuneração justa e condições dignas de trabalho (fair-trade). Suas matérias primas vêm de produtos orgânicos, reciclagem e reaproveitamento.

Amarela Upcycling: investe em peças únicas feitas a mão com tecido de reúso, aplicando upcycling e zero waste.

Ciclo Upcycling: marca investe em material de reuso e garimpo para fabricação das roupas.

GS One: a marca vende roupas feitas de algodão orgânico e garrafa PET reciclada.

 

Sapatos

Yellow Factory:  a marca também produz roupas e acessórios, mas o seu forte são sapatos veganos e feitos a mão.

Vert Shoes: a marca utiliza algodão orgânico e realiza exploração sustentável de borracha nativa amazônica. Não é vegana, por utilizar couro em sua fabricação. Mantém uma política de transparência de seu processo produtivo e matérias primas (compradas de acordo com o princípio do fair trade), como mostrado aqui.

Elef Shoes: a marca trabalha com o couro vegetal, além de retalhos e sobras de grandes empresas calçadistas e moveleiras do Vale dos Sinos. O solado é feito de borracha natural e borracha reciclada, desenvolvido com resíduos de pneus, garrafas PET e sobras de outros solados.

Insecta Shoes: a marca também produz acessórios, mas seu forte é a fabricação de sapatos a partir de peças de roupas usadas de diversos tecidos e estampas, além de garrafas de plástico recicladas. Não utilizam matéria-prima de origem animal.

Urban Flowers: a marca também produz roupas e bolsas, mas seu forte são sapatos veganos vendidos a preços super acessíveis.

Vegano Shoes:  produz roupas, sapatos e acessórios veganos. Recentemente, lançou uma coleção de sapatos em parceria com a Luisa Mell.

 

Acessórios

Ledice Atelier: a marca produz jóias feitas a mão reaproveitando azulejos. Mantém atemporalidade como conceito chave na fabricação das jóias.

Ateliê do Anel: produz anéis e pingentes a partir de madeira reaproveitada.

Zerezes: fomenta práticas de trabalho e comércio justas através da criação e capacitação de um arranjo produtivo local e investe no reaproveitamento de materiais na fabricação de óculos de sol e de grau.

Preza: a marca de óculos busca valorizar o design brasileiro e a fabricação local por meio de uma política de comércio justo e produção consciente, transformando excedentes industriais em produtos com alto impacto social e baixo impacto ambiental.

Bossapack: a marca de bolsas e mochilas utiliza somente a produção local como forma de geração de renda a comunidades e diminuição do impacto ambiental com o deslocamento de mercadorias pelo planeta. Os produtos são feitos com tecidos 100% reciclados com certificação internacional.

Cooperárvore: é uma cooperativa que produz vários artigos resultantes de um processo coletivo de criação. Reutiliza aparas de cintos de segurança e tecido automotivo na elaboração de produtos, como brindes, artigos de decoração e acessórios como bolsas, carteiras e mochilas.

 

Lingerie:

Tita Co.: a marca foca na sustentabilidade e responsabilidade social. As peças são feitas com algodão orgânico e livres de poluentes.

 

De tudo um pouco

Há lojas físicas e on-line, focadas no slow fashion, em que podemos comprar um pouco de tudo.

+Alma: é uma plataforma online que reúne marcas nacionais de roupas, calçados e acessórios que oferecem produtos feitos sob os pilares do consumo consciente e ético.

Mooca: é um marketplace que acelera produtores locais. Na loja, podemos encontrar de tudo um pouco, inclusive artigos de papelaria, casa e perfumaria. A loja física está em Belo Horizonte, mas os produtos também estão à venda online.

Casa Jardim Secreto: a loja colaborativa fica na cidade de São Paulo e vende diversos produtos artesanais de pequenos empreendedores. Lá, são vendidas roupas, acessórios cosméticos e também são oferecidas várias oficinas para o público em geral.

 

Share
Facebook
Facebook
TWITTER
Instagram

2 thoughts on “Guia de marcas e lojas slow fashion para compras mais sustentáveis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *